Imagine que você está atrasado para o trabalho, sai de casa com pressa e acaba esquecendo as chaves do escritório em casa, do outro lado da cidade. Você retorna para busca-las, mas, ao tentar abrir a porta de casa, percebe que perdeu as chaves da porta da frente no caminho. Situação complicada, não é? No entanto, tudo isso pode ser solucionado com a tecnologia de chave de acesso.

Nesse processo, você provavelmente acabou utilizando seu smartphone para ligar para o chaveiro, e provavelmente andou com ele o tempo todo no bolso ou até na mão. Não seria perfeito se esse aparelho, tão presente no nosso cotidiano, tivesse mais uma entre suas inúmeras funções?

Abrir portas com o celular pode parecer uma solução inteligente para o problema da quantidade de chaves que utilizamos, e é mesmo. Essa função — que parece ter saído de um filme de ficção científica — já é realidade há algum tempo e permite novas possibilidades para situações como a do exemplo acima.

Para saber mais, acompanhe o post de hoje!

Como funciona a chave de acesso?

A tecnologia de Comunicação por Campo de ProximidadeNear Field Communication, ou ainda NFC — é a grande responsável pelo funcionamento desse sistema. Ela funciona da seguinte maneira: um aparelho móvel que possua um chip NFC pode ser configurado para interagir com outros dispositivos próximos compatíveis, sejam:

  • painéis de carros;
  • maquinas de vendas de comida ou bebida;
  • pagamento de passagens de transporte;
  • portas de hotéis e casas;
  • outros celulares.

E o interessante do NFC é que ele permite vários tipos de configuração de transmissão de dados. Basta aproximar os dispositivos e deixar com que a tecnologia faça o resto, observando apenas o tipo de serviço a ser realizado. Conheça os principais:

Passivo

Um dos dispositivos gera o sinal de conexão, e o segundo apenas recebe. É mais utilizado para itens que não possuem alimentação elétrica direta, como embalagens, pôsteres ou cartões.

Ativo

Aqui, os dois dispositivos geram o sinal de conexão. Pode ser utilizado para pagamentos em um caixa de loja, por exemplo.

Leitura e Gravação

Nesse caso, um dispositivo transmite dados e outro recebe, mas há a possibilidade de alteração, como utilizar um smartphone para validar uma porcentagem de desconto em compras. O aparelho receptor vai adicionar e/ou remover dados transmitidos pelo emissor — no caso, o celular do cliente.

Peer-to-peer

Pode ser traduzido como ponto a ponto, ou pessoa para pessoa. Nessa modalidade de conexão NFC, os dois dispositivos transmitem e recebem dados, servindo para a troca e armazenamento de informações entre os dois aparelhos — como transferir um arquivo de um celular para outro, por exemplo.

Com todas essas possibilidades, já podemos imaginar como essa tecnologia pode mudar o cotidiano de muita gente, mesmo já sendo amplamente utilizada em alguns países, como os Estados Unidos.

Os donos de celulares com chips NFC só precisam inserir seus dados no aparelho, aproximar do serviço desejado e deixar a tecnologia cuidar do resto. Em segundos, é possível obter recarga para celulares, pagamento de contas e até mesmo dar partida em motores de veículos, pois alguns fabricantes, como a Hyundai, já integram a tecnologia em seus carros.

Outra das possibilidades, como você percebeu na situação imaginada no início deste texto, é dar aquela acelerada no processo de abertura das mais variadas fechaduras, presentes tanto em hotéis quanto possivelmente em nossas futuras casas.

Portanto, para serviços modernos e soluções inteligentes como a chave de acesso, entre em contato com a Magikey. Fale conosco, acelere seus processos de gestão e esteja com os últimos recursos do mercado em sua empresa.