A gestão inteligente de espaços é uma grande demanda do mundo moderno. Dessa maneira, monitorar com eficiência e dinamismo o fluxo de entrada a determinados locais tornou-se mais fácil graças às tecnologias atuais. O sistema de acesso por biometria está entre os recursos que possibilitam esse monitoramento.

Essa tecnologia tem sido uma das mais utilizadas em agências bancárias, empresas, instituições de ensino, entre outros ambientes que prezam por mais segurança e automação de processos.

Neste post, vamos analisar o acesso por biometria, desvendando o seu funcionamento e revelando seus prós e contras. Curioso? Então nos acompanhe!

O conceito

A palavra biometria deriva de bio (vida) e metria (medição), portanto, pode ser definida, literalmente falando, como uma maneira de medir características do corpo, a fim de diferenciá-lo de outros. Isso porque se parte do pressuposto de que cada corpo humano tem suas próprias características e que, portanto, são passíveis de análise biométrica.

As características mais comuns utilizadas na biometria são as digitais, mas também podem ser analisadas a íris e a retina dos olhos, a geometria das mãos, as formas da face, voz e até mesmo a anatomia das orelhas.

Em ambientes com acesso de um número considerável de pessoas, o controle biométrico é importante na medida em que provê maior segurança, garantindo a identificação de todos que circulam pelo local.

O funcionamento

O funcionamento básico da biometria consiste em três etapas básicas.

A primeira diz respeito a captura de amostras biométricas (digitais, reconhecimento facial, voz, etc.). A partir daí temos a leitura das informações biométricas dos usuários cadastrados para que suas identidades sejam atestadas.

Por último, temos a identificação do usuário, com base no cruzamento dos seus dados biométricos com o banco de dados do sistema, permitindo ou negando seu acesso.

Os tipos de biometria existentes variam de acordo com o tipo de amostra biométrica analisada. Entretanto, seu grau de eficiência também pode ser modificado de acordo com cada tipo de amostragem.

As vantagens

Uma das grandes vantagens da biometria é a eficiência no processo de armazenamento de informações sobre quem entra e quem sai do perímetro protegido. Além disso, por meio da verificação biométrica é possível saber por quanto tempo a pessoa esteve no local.

Outra vantagem é que, se tratando de sistemas de análise biométrica baseados na íris do olho e nas impressões digitais, é impossível haver clonagem dessas características, o que aumenta ainda mais o nível da segurança.

As desvantagens

A biometria por voz, por exemplo, pode ser comprometida por conta da habilidade de algumas pessoas de imitar vozes ou pela utilização de gravadores.

Já a biometria por análise da impressão digital carrega consigo o estigma de criminalidade, pois é tradicionalmente utilizada em divisões forenses nas investigações criminais.

Outro demérito é o alto valor de investimento inicial para a implantação de um sistema biométrico, especialmente se o compararmos com outras tecnologias para gestão inteligente de espaços.

A biometria que utiliza a face como amostra se depara com a dificuldade de desenvolver um sistema que dê conta de avaliar pequenas variações de expressões. Marcas de envelhecimento, ou até mesmo a posição do rosto diante da câmera que o captura, podem comprometer o processo de identificação de usuários.

Sem dúvidas, o sistema biométrico é um dos mais seguros entre as tecnologias atuais de monitoramento. Investir nesse tipo de recurso trará mais tranquilidade e controle para sua rotina operacional.

E você, leitor, agora que já sabe tudo sobre o sistema de acesso por biometria, que tal descobrir outras 5 tecnologias que aumentam a eficiência da automação de escritórios? Até o próximo post!